Envelhecer bem

Envelhecer bem

Envelhecer bem

 

Envelhecer bem é acima de tudo conquistar estados de equilíbrio físico e mental que permitam que cada um possa estar o mais ajustado possível à fase de vida em que se encontra de forma a poder ter não só um sentimento de bem-estar, mas também de realização pessoal para aquela etapa de vida. Cada idade tem as suas características e cabe-nos ter consciência de como podemos usufruir melhor da vida. Há quem percorra a vida a queixar-se dos inconvenientes da idade em que se encontra e há os que conseguem descobrir os benefícios de cada momento em que se encontram. 
É fundamental usar a consciência de si e de cada momento de vida para construir um projecto de vida, seja em que circunstância for. Um plano de vida a nível ocupacional e relacional permite encontrar sentido para a vida e plenitude na vida em cada fase da mesma. O abandono, o vazio e a entrega à passividade são a derrota perante os desafios que cada idade nos coloca. 
A reforma é um direito, mas um direito que deve ser respeitado construindo uma nova vida com sentido. Quando temos dificuldade em encontrar os nossos objectivos e equilíbrios devemos procurar ajuda.
Envelhecer activamente não quer necessariamente dizer ter muitas actividades, mas sim estar numa atitude activa face ao momento de vida em que estamos, e sermos capazes de traçar o nosso percurso de vida. Não devemos esperar que sejam os outros a escolher por nós. 

Envelhecer bem é acima de tudo conquistar estados de equilíbrio físico e mental que permitam que cada um possa estar o mais ajustado possível à fase de vida em que se encontra de forma a poder ter não só um sentimento de bem-estar, mas também de realização pessoal para aquela etapa de vida. Cada idade tem as suas características e cabe-nos ter consciência de como podemos usufruir melhor da vida. Há quem percorra a vida a queixar-se dos inconvenientes da idade em que se encontra e há os que conseguem descobrir os benefícios de cada momento em que se encontram.

É fundamental usar a consciência de si e de cada momento de vida para construir um projecto de vida, seja em que circunstância for. Um plano de vida a nível ocupacional e relacional permite encontrar sentido para a vida e plenitude na vida em cada fase da mesma. O abandono, o vazio e a entrega à passividade são a derrota perante os desafios que cada idade nos coloca.

A reforma é um direito, mas um direito que deve ser respeitado construindo uma nova vida com sentido. Quando temos dificuldade em encontrar os nossos objectivos e equilíbrios devemos procurar ajuda.

Envelhecer activamente não quer necessariamente dizer ter muitas actividades, mas sim estar numa atitude activa face ao momento de vida em que estamos, e sermos capazes de traçar o nosso percurso de vida. Não devemos esperar que sejam os outros a escolher por nós.